Header

Audiência Pública – Moradores se manisfestaram contrários instalação de pedreira em Garuva

 

Reportagem de Joelcio Andrade

A Fundação do Meio Ambiente (Fatma) realizou uma audiência pública para que a comunidade de Garuva conheça e esclareça dúvidas sobre o projeto de ampliação de lavra da empresa Rudnick Minérios. O Estudo de Impacto Ambiental e Relatório de Impacto Ambiental (EIA/RIMA) foram apresentados nesta segunda-feira dia 27 de novembro, às 19h, no salão comunitário da Capela Santa Rosa de Lima, rodovia SC 417, Km 10, Mina Velha.

Estiveram presentes representantes da FATMA, da empresa Rudinick Minérios, Legislativo e Executivo municipal, Ministério Público da comarca e comunidade em geral.

A audiência pública faz parte do processo de licenciamento. Técnicos e os responsáveis pelo projeto expõem o empreendimento e esclarecem as dúvidas da comunidade.

Foi desenvolvido um estudo de impacto ambiental apresentado à FATMA e na audiência apresentado para os moradores de Mina Velha, os possíveis impactos ambientais e socioeconômicos e também os aspectos positivos, negativos e as medidas compensatórias a comunidade, por exemplo, o principal anseio da comunidade sendo o abastecimento de água.

Se for aprovada a pedreira para a mineração a empresa deverá extrair no local 12milhões m³, sendo previsto uma produção mensal em torno de 17mil m³ e uma vida útil de 40 anos para o empreendimento.

Segundo o geólogo da Empresa Rudinck Minérios Gerson Mauri Wolfart, “o empreendimento em relação ao “Morro” ele representa 5% da área, e questão a água a empresa propõe acerto em parceria com Águas de Garuva com a Prefeitura Municipal em levar rede pública a todas as residências desde a estação de tratamento de Garuva numa extensão de 12 km”.

A preocupação dos moradores está em diversos aspectos, porém em especial o ponto mais debatido foi a água que abastece as residências.

O Secretário de Saneamento Ambiental de Garuva Márcio Herpich relata que é viável a proposta defendida pela empresa Rudinick em viabilizar água de Garuva até a comunidade, porém, apenas foi feito um levantamento de alternativa de custos e viabilidade até o momento nenhum projeto foi elaborado e apresentado à secretaria,mas se for viável, esse projeto deverá fazer parte do processo de licenciamento para a instalação do empreendimento.

A comunidade esteve participando em grande número de pessoas, as quais se monstraram contrárias a instalação do empreendimento.O morador Paulo dos Santos,disse ” Os moradores esperam o impedimento pelo Ministério Público.O  Promotor da comarca Joel Zanelatto também participou e apresentou vários aspectos negativos da obra sobre os impactos com a instalação da pedreira.

Os moradores abraçaram a causa em defesa do “MORRO DE MINA VELHA” que para eles é um patrimônio histórico e ambiental, se existir lei e for cumprida, não terá condições e funcionar a mineração no local, finalizou Paulo dos Santos.

Gilberto Hass também morador na comunidade de Mina Velha relata que a rejeição do empreendimento se faz por razões simples, quebra a unidade ambiental, prejudica a fauna local, e segundo ele, um estudo de gabinete foi apresentado na audiência pública. E que antes da apresentação do investimento os moradores deveriam ser ouvidos, para não receberem o projeto pronto, pois os direitos de todos devem ser observados. E que um empreendimento que provoca danos ao meio ambiente, dever ser o último item a ser contemplado em qualquer procedimento, finalizou Gilberto Hass.

Para o Dr. João Pimenta, jurídico da Fundação do Meio Ambiente (FATMA), a audiência pública foi extrema importância para a equipe que recebeu informações importantes, que enriquece o estudo para a decisão pela concessão ou não da licença de mineração. Não há nenhuma liberação por parte da FATMA até o momento, e que com os dados recebidos na primeira audiência pública deverá realizar uma nova análise e definir se necessário, uma segunda audiência pública com a comunidade e a empresa interessada na mineração no “MORRO DE MINA VELHA”.

Os Moradores foram mobilizados para a audiência pública usando camisetas que foram adquiridas por eles próprios, com a frase “salve o Morro de Mina velha”.

0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1