Header

Litoral do Paraná prevê duas primeiras semanas de janeiro agitadas

Depois de ‘bombar’ no Réveillon, com praticamente uma Curitiba invadindo as praias do Paraná (mais de 2 milhões de pessoas passaram a virada de ano na região), o Litoral paranaense deve registrar pelo menos mais duas semanas de movimento intenso antes das coisas começarem a acalmar.

De acordo com a Associação de Hotéis, Pousadas, Restaurantes, Bares, Casas Noturnas e Similares do Litoral Paranaense (Assindilitoral), o movimento no Réveillon deste ano deve ficar 25% maior do que o registrado no ano anterior, e deve ter impacto ainda nas próximas semanas, especialmente pelo fato de a temporada 2017-2018 ser mais curta do que foi a temporada 2016-2017 por conta do calendário.

“Esse final de 2017 e início de 2018 vamos ter um aumento no movimento em comparação com anos anteriores. Mas depois disso, se tivermos movimento igual ao do ano passado, já está muito bom”, afirma Carlos Dalberto Freire, presidente da Assindilitoral, em referência à situação econômica do país.

A avaliação é parecida com a que faz Orlando Fernandes, dono de uma barraca de coco em Guaratuba, e Erivan José Bueno, conhecico como Tatu e que há 27 anos trabalha como garçom no restaurante Tia Luíza, de Matinhos. Segundo eles, o movimento será intenso até a segunda semana de janeiro, mas a partir daí cairá, com picos nos finais de semana.

“Depois da primeira quinzena de janeiro, só no Carnaval e aí já era”, comenta Fernandes. “O movimento deve seguir bom até metade de janeiro e daí no Carnaval retoma. Fora isso, movimento só nos finais de semana, mas nós de Matinhos ainda temos uma vantagem, porque tem o Sesc Triathlon (que acontecerá em 4 de maço), que dá um movimento legal na cidade depois do Carnaval”, complementa o garçom Tatu.

Mas há aqueles bem otimistas, e que esperam um janeiro dos sonhos. “O movimento está bom neste começo de temporada, até acima do esperado. E é aquilo: se tem tempo bom, tem praia cheia. E assim deve ser durante todo o mês de janeiro, dando uma baixada a partir de fevereiro e retomando no Carnaval”, diz Artur Mariano, morador de Guaratuba e que durante a temporada está trabalhando com o aluguel de artigos de praia.

1