Início Esportes

Caso Daniel: polícia investiga se assassino ofereceu a mulher para sexo com jogador

A Polícia Civil do Paraná investigará se o assassino confesso de Daniel Freitas, o empresário Edison Brittes, convidou o jogador para ter relações sexuais com a mulher dele, Cristiana Brittes. À Rede Massa, filiada do SBT no Paraná, uma testemunha afirmou que a situação ocorreu momentos antes de o meia ser assassinado.

A testemunha, que é uma pessoa que conhece um amigo próximo de Edison, disse que o empresário estava “muito louco” no dia do crime. “Convidou Daniel para dormir com a mulher dele. Ele sabia, a mulher também, foi um acordo. E depois que ele viu que realmente os dois estavam juntos na cama ele se revoltou e resolveu matar Daniel”, disse o entrevistado ao jornal.

Suspeitos vão para a penitenciária

Cristiana Brittes, esposa de Edison Brittes, e a filha dela, Allana Brittes, foram transferidas nesta quinta-feira (7) para a Penitenciária Feminina de Piraquara, na Grande Curitiba.

As duas estão com a prisão temporária decretada por 30 dias por envolvimento na morte do jogador Daniel. Pela manhã, mãe e filha passaram pelo exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba, no bairro Tarumã, para cumprir um procedimento padrão antes de deixar a Delegacia de São José dos Pinhais.

A expectativa é de que Edison Brittes, principal suspeito da morte do jogador Daniel, seja transferido ainda nesta quinta-feira (7) para Penitenciária Estadual de Piraquara (PEP).