Início Esportes

Coritiba usa sua principal arma, vence o Brasil e amplia série invicta

O Coritiba venceu por 2 a 0 o Brasil de Pelotas (RS), nessa terça-feira (dia 13) à noite, no Couto Pereira, pela 16ª rodada da Série B. Com o resultado, o time paranaense ficou em 2º lugar, com 29 pontos. A equipe gaúcha está na 13ª colocação, com 18 pontos.

A vitória veio com a ajuda da principal arma do Coritiba na Série B: a bola parada. Quase metade dos gols da equipe na competição — 11 do total de 23 — surgiram em cobranças de falta ou escanteio. Contra o Brasil, o primeiro gol saiu em cobrança de falta do meia Alano para finalização do zagueiro Sabino. O segundo gol foi marcado por Robson, após boa jogada de William Matheus, Rafinha e Rodrigão.

Em relação ao desempenho, foi a melhor performance do Coritiba na Série B. Pela primeira vez, o time demonstrou criatividade no setor ofensivo e construiu chances suficientes para golear. Só não fez um placar maior porque pecou nas finalizações e porque encontrou um goleiro em grande noite. O sistema defensivo teve atuação sólida e quase não permitiu ataques do Brasil. Ainda foi uma atuação com defeitos evidentes, mas a equipe apresentou um futebol digno de G4.

SÉRIE INVICTA
O time paranaense chegou a cinco vitórias consecutivas em casa e tem a melhor campanha como mandante da competição (22 pontos em 9 jogos). No geral, incluindo jogos como visitante, a série invicta chega agora a sete partidas.

O Brasil vinha de cinco partidas seguidas sem derrotas como visitante — três empates e duas vitórias

TÉCNICO
Esse foi o 23º jogo do técnico Umberto Louzer no Coritiba, agora com 12 vitórias, 7 empates e 4 derrotas.

ESCALAÇÃO
Recuperado de lesão, o goleiro Wilson ficou no banco. Muralha seguiu como titular. O meia-atacante Rafinha, ainda sem condicionamento ideal, começou na reserva. O desfalque era o zagueiro Walisson Maia, lesionado. O esquema tático era o 4-1-4-1, com Matheus Sales como único volante. Robson (esquerda) e Thiago Lopes (direita) atuaram como extremos. Giovanni e Alano eram os meias centralizados.

PRIMEIRO TEMPO
O primeiro tempo teve domínio total do Coritiba, que controlou o meio-campo e atacou com facilidade pelo lado direito, graças aos avanços de Diogo Mateus e aos bons passes de Juan Alano e Thiago Lopes. O Brasil tentou pressionar a saída de bola do adversário e jogar avançado, mas errou demais no aspetco individual e perdeu a bola rapidamente, proporcionando o controle do jogo ao Coxa. No total da primeira etapa, foram 12 finalizações do time paranaense — sete delas com algum perigo. O Brasil só levou perigo aos 47, quando Cristian saiu na cara do gol, mas acabou desperdiçando.

SEGUNDO TEMPO
O Brasil melhorou a marcação e equilibrou o jogo no começo do segundo tempo. Aos 10, saiu Giovanni e entrou Rafinha. O Coxa mudou para o 4-2-3-1, com Alano recuando para volante. A linha de três tinha Thiago Lopes (direita), Rafinha (centro) e Robson (esquerda). Em seguida, aos 17, o time paranaense abriu o placar. Alano cobrou falta cruzando para a área. Sabino entrou livre e chutou no canto: 1 a 0. O Brasil saiu para o ataque e ficou vulnerável. O Coxa aproveitou e fez 2 a 0 já aos 32. William Matheus ganhou no ataque e tocou para Rafinha, que acionou Rodrigão. Ele fez o pivô e ajeitou para Robson chutar no canto. A imagem da TV mostrou Rafinha em posição irregular nesse lance.

ESTATÍSTICAS
Nos 90 minutos, o Coritiba somou 20 finalizações (9 certas), 55% de posse de bola, 84% de acerto nos passes e 5 escanteios. O Brasil obteve 11 finalizações (3 certas), 45% de posse de bola, 81% de acerto nos passes e 6 escanteios. Os números são do site Sofascore.

CORITIBA 2 x 0 BRASIL
Coritiba: Alex Muralha; Diogo Mateus, Rafael Lima, Sabino e William Matheus; Matheus Sales; Juan Alano, Thiago Lopes (Wellissol), Giovanni (Rafinha) e Robson; Rodrigão (Igor Jesus). Técnico: Umberto Louzer
Brasil: Carlos Eduardo; Ricardo Luz, Leandro Camilo, Bruno Aguiar e Ednei; Leandro Leite (Elias) e Carlos Jatobá; Murilo Rangel, Diogo Oliveira e Cristian (Branquinho); Rafael Grampola (Rodrigo Alves). Técnico: Bolívar
Gols: Sabino (17-2º) e Robson (32-2º) 
Árbitro: Felipe Fernandes de Lima (MG)
Público: 15.489 pagantes (16.854 total)
Renda: R$ 234.474,00
Cartões amarelos: Cristian, Ednei, Ricardo Luz (B). Alano (C).
Local: Couto Pereira

PRINCIPAIS LANCES
Primeiro tempo
9 – Giovanni rouba no meio-campo, puxa contra-ataque e rola para Rodrigão, que chuta da meia-lua. A bola passa perto, ao lado.
11 – Thiago Lopes rouba no ataque e rola para Robson, na cara do gol. Ele chuta e o zagueiro bloqueia.
20 – Diogo Mateus cruza da direita. Rodrigão cabeceia no canto. O goleiro espalma.
25 – Alano enfia. Robson recebe na área e chuta. O goleiro espalma.
33 – Giovanni chuta de longe. O goleiro segura.
35 – Thiago Lopes avança, invade a área e chuta ao lado do gol.
40 – Thiago Lopes avança pela ponta, corta para dentro e chuta da meia-lua. O goleiro espalma.
47 – Cristian recebe na área, finta Muralha e chuta. Sabino salva.

Segundo tempo
2 – Cristian chuta de longe. Muralha defende ‘em dois tempos’. 
10 – Depois de bate e rebate na área, Leandro Camilo chuta no alto e Muralha faz boa defesa. 
15 – Thiago Lopes domina na área e chuta forte. O goleiro defende.
17 – Gol do Coritiba. Falta na direita. Alano cruza na marca do pênalti. Sabino entra livre e chuta no canto.
28 – Contra-ataque. Quatro contra dois. Rodrigão enfia e deixa Alano na cara do gol. Ele chuta e o goleiro abafa.
32 – Gol do Coritiba. Alano rouba no ataque. Rafinha aciona Rodrigão, que faz o pivô e rola para Robson chutar no canto.
35 – Murilo Rangel chuta de longe. Muralha espalma no canto.