Início Esportes

Reservas do Athletico jogam bem, mas são ‘castigados’ pelo VAR e só empatam com o Santos

Mesmo jogando com uma equipe reserva, poupando seus principais jogadores para a final da Copa do Brasil, o Athletico jogou bem contra o Santos, vice-líder do Campeonato Brasileiro, na Vila Belmiro. Depois de um início de jogo complicado, os comandados de Tiago Nunes encaixaram o jogo e anularam o bom time de Sampaoli. O Peixe sofreu, cedeu espaços e tomou o 1 a 0, num gol de Braian Romero aos 42 minutos do primeiro tempo. Com grande atuação do goleiro Léo, o Furacão esteve com a vitória muito perto. Mas o VAR entrou em ação aos 42 minutos e assinalou um pênalti polêmico para os paulistas, que empataram numa cobrança ‘estilosa’ do colombiano Carlos Sánchez: 1 a 1.

Agora com 26 pontos na 9ª colocação, o Furacão passa a focar todas as suas atenções para a final da Copa do Brasil, que será disputada na próxima quarta-feira (11 de setembro) na Arena da Baixada, com os paranaenses recebendo o Internacional pela partida de ida da decisão. Pelo Brasileirão, o próximo confronto acontece no domingo (15) contra o Avaí, novamente na Arena. Já o Santos com 37 pontos, faz duelo de líder versus vice-líder do Brasileirão no Maracanã, contra o Flamengo, no próximo sábado (14) às 17 horas.

Escalações

Jogando com uma equipe repleta de jogadores considerados reservas, o Furacão teve como principais novidades o zagueiro Pedro Henrique e o lateral-esquerdo Adriano, contratados após o prazo de inscrições da Copa do Brasil. O zagueiro Léo Pereita, que ficou de fora dos últimos dois jogos da equipe por estar suspenso, atuou para recuperar o ritmo de jogo.

O volante Wellington cumpriu suspensão pelo terceiro amarelo, mas já não enfrentaria o Santos por ser titular na Copa do Brasil. O zagueiro Thiago Heleno e o volante Camacho estão suspensos por doping e só voltam em novembro.

O Santos, por sua vez, não entrou em campo com um time reserva, mas teve de lidar com uma série de desfalques: o lateral-direito Victor Ferraz, lesionado, e Cueva, Derlis González e Jorge, todos convocados por suas respectivas seleções para amistosos internacionais.

O Jogo

Jogando dentro de casa, o Santos se lançou ao ataque desde o primeiro minuto e acuou o Athletico, que não conseguia sair do campo de defesa. O time paulista teve as duas primeiras chances de gol, a melhor dela aos 7 minutos, após erro do goleiro Léo, e outra aos 25. Não fez. E aí o Furacão começou a crescer.

Aos poucos a equipe visitante equilibrou o jogo, ‘esfriando’ o ritmo do adversário. Logo também começaram a surgir espaços na defesa adversária. Aos 33 minutos, por exemplo, Everson teve que operar, em sequência, duas defesas dignas de serem chamadas de ‘milagre’. Aos 42, porém, não teve nem chance de chegar na bola depois da boa trama entre Vitinho, Lucho González, Thonny Anderson e Braian Romero – com gol do último e 1 a 0 no placar para o time do Paraná.

No segundo tempo, o Santos voltou mais organizado, pressionando novamente o adversário desde o campo de ataque e insistindo menos nas bolas longas. Foram três chances de gol em dez minutos, com uma grande defesa de Léo aos 8.

Aos 17, as primeiras substituições nas duas equipes. No Peixe, Lucas Venuto fez sua estreia substituindo Jean Mota. No Athletico, Tomás Andrade entrou no lugar de Everton Felipe. Três minutos depois, Abner Felipe, ex-Coxa e Real Madrid Castilla (ESP), substituiu Adriano. E aos 33, Erick na vaga de Lucho González.

O Santos manteve a pressão e teve, em sequência, três grandes chances de gol entre os minutos 33 e 35 de jogo. Em duas oportunidades, ambas após cobranças de escanteio de Carlos Sánches, o goleiro Léo apareceu bem e salvou o Athletico.

Sampaoli ainda apostaria em Pará, ex-Flamengo, no lugar de Felipe Aguilar, aos 33. A chance do empate, dramática, veio aos 42 minutos, em lance polêmico: Marinho sofreu falta de Braian Romero fora da área, se desequilibrou e caiu já dentro da área. O VAR foi acionado e o árbitro, na revisão, marcou pênalti para a equipe mandante. Carlo Sánchez bateu bonito, com uma cavadinha no meio do gol, e converteu: 1 a 1.

Nos minutos finais, o foco da partida esteve fora do campo. Tiago Nunes e Jorge Sampaoli se desentenderam gravemente. Sampaoli chegou a insinuar que partiria para cima do treinador atleticano, mas foi contido por outras pessoas. O comandante do rubro-negro respondeu fazendo sinal com as mãos de que o adversário seria maluco. Tiago Nunes tomou cartão amarelo e um preparador físico do Santos foi expulso durante a confusão.

SANTOS 1 x 1 ATHLETICO

Santos: Everson; Lucas Veríssimo, Felipe Aguilar (Pará) e Gustavo Henrique; Carlos Sánchez, Diego Pituca, Jean Mota (Lucas Venuto) e Felipe Jonatan; Uribe, Eduardo Sasha e Marinho. Técnico: Sampaoli
Athletico: Léo; Madson, Pedro Henrique, Léo Pereira e Adriano (Abner Felipe); Rossetto e Lucho González; Vitinho, Everton Felipe (Tomás Andrade) e Braian Romero; Thonny Anderson. Técnico: Tiago Nunes
Gols: Braian Romero (42-1º) e Carlos Sánches (45-2º)
Cartões amarelos: Diego Pituca, Marinho, Lucas Veríssimo (S); Lucho González, Adriano, Rossetto, Léo, Thonny Anderson (A)
Árbitro: Rodrigo Carvalhaes de Miranda (RJ)
Público: 12.569 total
Renda: R$ 476.930,00
Local: Vila Belmiro, domingo às 16 horas

PRINCIPAIS LANCES

Primeiro tempo

7 – Léo sai jogando errado e entrega para Marinho dentro da área. O atacante do Santos manda uma bomba, mas Léo Pereira se atira na bola para salvar.

25 – Diego Pituca fica com a bola na intermediária e chuta forte. A bola vai perto de Léo, que cai e faz uma defesa segura.

27 – Vitinho domina dentro da área e toca para trás. Everton Felipe chega batendo, finaliza com efeito e manda por cima do gol.

33 – Madson cruza pra trás e Thonny Anderson, livre dentro da área e perto do gol, chuta forte. Everson defende. No rebote, Vitinho manda outra pancada e o goleiro se joga na frente da bola para salvar com o peito. Milagre na Vila Belmiro!

38 – Lançamento de Gustavo Henrique para Marinho. Léo sai do gol e tenta cortar com um cabeceio, mas Sánchez aproveita a sobra e manda de primeira da intermediária. Léo Pereira se posiciona perto da pequena área e salva o Athletico.

42 – Gol do Athletico! Vitinho aciona Lucho González na entrada da área. O argentino dá um toque bonito por cima para lançar Thonny Anderson, que bate cruzado de dentro da área. Braian Romero aparece na segunda trave e só empurra a bola para dentro do gol.

45 – Felipe Jonathan passa pelo marcador na lateral, se aproxima da linha de fundo e cruza rasteiro. Uribe desvia na primeira trave, Léo espalma, a bola bate na trave e volta para as mãos do goleiro.

47 – Everton Felipe recebe na entrada da área e corta o marcador. Antes de completar o drible, Braian Romero chega chutando e acerta Felipe Jonatan. O desvio mata o goleiro Everson, mas a bola passa ao lado do gol.

50 – Cobrança de Jean Mota da entrada da área. O santista bate colocado e acerta pertinho do ângulo. Léo se estica todo e espalma.

Segundo tempo

8 – Cobrança de escanteio de Carlos Sánchez. A bola viaja até o meio da área e encontra a cabeça de Gustavo Henrique, que manda firme pro gol. Léo espalma.

10 – Jean Mota cruza na primeira trave e Uribe chega de peixinho para desviar. A bola passa ao lado do gol, com perigo.

32 – Felipe Jonatan chuta cruzado, rasteiro, e Léo defende.

33 – Cobrança de escanteio de Sánchez, Veríssimo cabeceia e Léo faz grande defesa. Após mais um escanteio, Uribe cabecei na primeira trave o Léo, de novo, salva.

34 – Lucas Veríssimo toca para a passagem de Marinho, que cruza da linha de fundo para o meio da área. Uribe aparece na primeira trave, livre e em boa colocação, mas cabeceia para cima e desperdiça.

42 – Marinho recebe na esquerda e dispara para a área. Ele é segurado por Braian Romero fora da área, se desequilibra e cai já dentro da área. O VAR chama o árbitro, que revê o lance em dois minutos e assinala pênalti polêmico para o Santos.

45 – Gol do Santos! Na cobrança de pênalti, Carlos Sánchez manda uma cavadinha no meio do gol e Léo cai para o lado.